Notícia
Data: 20/01/2020

Congregação das Irmãs dos Pobres de Santa Catarina de Sena celebra bodas de ouro e prata das Irmãs.


Por: CIPSCS
Memorare - Teresina-PI

No coração das Irmãs, a emoção e a certeza que nasceram com a missão de evangelizar

Foi com muita alegria que as Irmãs dos Pobres de Santa Catarina de Sena  compartilharam nessa segunda-feira (20) os 50 anos de vocação das Irmãs Lúcia Bezerra, Irmã Francisca Silva e Irmã Maria de Carvalho Ferreira; os 25 anos de consagração das Irmãs Nídia Ribeiro e Irmã Teresinha Feitosa, além da renovação dos votos das Irmãs Junioristas.

No Memorare, foi celebrada uma missa solene, festiva, presidida pelo Frei Lopes e concelebrada pelos Padres José de Pinho e Padre Osvaldo. Toda a Liturgia foi marcada pela memória e gratidão por esses anos de missão das Irmãs. Foi motivo de louvor a Deus. A Irmã Lúcia Bezerra, Superiora Provincial da Congregação, afirmou que há cinquenta anos tomou a decisão mais certa e mais importante da vida. “Uma certeza que eu sempre tive foi da presença de Deus em minha vida e da prioridade que eu venho dando, assim como da fidelidade. A vida fraterna é uma escola. Em todas as casas nós temos o grupo de Irmãs. Todas têm o mesmo desejo, o mesmo ideal e ajudam umas às outras”, afirmou Irmã Lúcia, relembrando que em 1970 contou com a presença dos pais durante a consagração.

Humildade, dedicação e doação marcam a vida dessas Irmãs, que nasceram com vocação à vida religiosa. O Frei Lopes, durante a celebração, lembrou que a consagração não torna ninguém melhor, mas mais próximos de Deus. “Nosso Senhor escolheu vocês para serem peregrinas do amor. Começar bem é uma graça, mas perseverar ao longo de todos esses anos é uma grande virtude que precisa ser regada diariamente como uma planta”, afirmou o Frei.

 Toda a Igreja de Memorare se uniu em oração e agradecimento por este momento tão especial de exemplo de dedicação e entrega ao serviço da igreja. A diretora-presidente da Associação Norte Brasileira de Educação e Assistência Social, Irmã Amparo Machado, por meio de uma prece pediu que todas as Irmãs se fortaleçam na fé, agradecendo os benefícios de Deus ao longo dos anos.

A Irmã Nídia estava emocionada e muito agradecida à família religiosa. Ela sempre soube que escolhendo Deus, estaria repleta de bênçãos. “Eu me sinto transfigurada. Foi uma decisão de muita entrega e confiança no Senhor. Este é um momento de alegria e gratidão. Hoje eu celebro a misericórdia divina”, ressaltou Irmã Nídia.

O sentimento de gratidão foi o que mais perdurou na fala de cada Irmã. “Nesses 25 anos, se tem uma palavra que possa definir a minha vida, é agradecimento. Esse sentimento inunda meu coração nesse dia. Gratidão a Deus, à família religiosa e à minha família, em especial aos meus pais (in memorian), que contribuem e contribuíram nessa minha caminhada de fé e entrega a esse Deus que é todo amor”, disse Irmã Teresinha, lembrando que a vocação religiosa iniciou em um grupo vocacional no Memorare.

E não importa se são 50 anos, 25, ou bem menos tempo de uma vida entregue a Deus. Todas as Irmãs auxiliam a população a ter uma experiência de intimidade com o Salvador. Por isso, Irmãs Junioristas renovaram os votos de dar continuidade na plena realização da graça e da vontade do Pai. “É um reabastecer-se. Renovar os votos nos dá ainda mais vigor, entusiasmo e me deixa ainda mais motivada”, afirmou a Irmã Cristiane Gomes de Sousa.

Ao final da celebração religiosa, o Frei lembrou o exemplo deixado por Madre Savina. “Que não falte a nenhuma das Irmãs a mão amiga e carinhosa da beata, concluiu o celebrante.

 


Informações
Responsive image
Vídeos
Facebook